Viagens de Bolso

bonsai

Literatura Bonsai, que entretanto mudei de título para Viagens de Bolso, é uma série de micro-histórias de viagem [cada uma delas não ultrapassa as 100 palavras] ilustrada por mim, publicada no suplemento de viagens do jornal suíço alemão Die Wochenzeitung. A tradução é da minha amiga Katja Alves, e fica aqui um agradecimento a Esther Banz, editora.

Clique aqui [atenção: demora a carregar] para ver um recorte do Die Woz, ainda que o melhor será ler primeiro os originais, em português. Ficam aqui algumas, com tempo colocarei outras.

Bonsai Literature, title that meanwhile I have change to Pocket Travel, is a series of micro-travelling stories that only have 100 words each, published in the traveling supplement of the swiss german newspaper Die Wochenzeitung. They are translated by my friend Katja Alves – and I also would like to say thanks to Esther Banz, editor. Click here to see a newspaper clip of Die Woz. Meanwhile, I will manage to translate them into english and post them in here.

Viagens de Bolso: Call Center Emocional

Anjushri tinha um ar cansado, o que era natural, vivia em Mira Road, subúrbios de Bombaim, e trabalhava como telefonista num centro de atendimento de uma multinacional americana. A única alegria que tinha no trabalho era a de poder usar o nome Marilyn Monroe e passar horas a fio ao lado de Kamraj, um rapaz a quem os clientes tratam por JFK. Um dia, entre chamadas, teve uma oportunidade para dizer que o amava, mas como estava com um problema de voz, o JFK não a ouviu. Ficou tão revoltada com aquilo, que pediu para mudar de nome e lugar. Agora chama-se Mónica e está sentada ao lado do Bill.

Viagens de Bolso: Telepatia Pura

Conheci-o em Sófia, na Bulgária, chamava-se Stanimir e tinha a mania que era telepata. Contou-me que foi uma das 51 pessoas escolhidas para participar na experiência de telepatia entre a Terra e a nave Apollo 14 em 1971. Eufórico, confessou-me, que conseguiu adivinhar 26 das 200 frases que o astronauta Edgar D. Mitchell escreveu a bordo, perguntei-lhe se sabia o que é que eu estava a pensar naquele momento. Ficou estático durante 1 minuto, em estado de concentração pura, depois começou a rir-se sozinho e disse-me que não percebia patavina de português.

Viagens de Bolso: Diário Público

Café Haffa, arrabaldes de Tanger, olhos nos olhos pedi-lhe o que me tinha roubado, e acrescentei, que não queria confusão, só aquilo que me pertencia. O dinheiro gastei-o todo nisto!, explicou-me olhando para uma pedra de haxixe que tirou do bolso. Retorqui que não queria saber, que só estava ali pelo meu caderno de viagens, ponto final. O tipo apontou para o wc, Está ali!, depois alisou o bigodinho manhoso e ficou a olhar para mim de braços cruzados. Saí de lá como entrei, sem o meu caderno, mas com uma certeza, naquele dia no Haffa ninguém se queixaria de falta de papel higiénico.

Viagens de Bolso: Senti-me Grego

A subida é violenta, leve muita água!, não liguei ao aviso, é claro que quando cheguei lá em cima, à Acrópole, estava ensopado em suor e quase a desmaiar. Pedi com licença e sentei-me no meio de um grupo de americanas de meia-idade. Uma delas, Laurie, numa voz mais do que estridente, perguntou-me se precisava de ajuda. Olhei para o chapéu dela, na frente tinha uma ventoinha alimentada por um minúsculo painel solar e no topo um regador em miniatura, pedi-o emprestado. Senti-me ridículo com aquilo na cabeça, mas passei a acreditar no turismo sustentado. Hallelujah!, gritou a Laurie.

Detalhes Monstruosos

Ok, para quem não foi ver a peça Top Gun do Teatro de Ferro, ou para quem me perguntou como funcionam as marionetas [que eu faço questão de tratar por monstros], ficam aqui dois breves filmes feitos no atelier do Teatro de Ferro com o Igor Gandra.

Nesta, expliquei ao Igor que a boca de cima falava verdade e a de baixo mentira, mas depois, como na peça não haviam diálogos “falados”, a de cima passou a “falar” devagar e a outra muito depressa.

Esta dá traques, isto, porque o Igor encaixou dentro da marioneta um spray para o ambiente. Ou seja, durante a peça, sempre que a marioneta dá um traque, fica a cheirar muito bem na sala.

Problemas em visualizar?!
Link permanente para os vídeos aqui e aqui.

About Top Gun, in here you can see how my puppets behave. Did this movies in the backstage, with the help of Igor Gandra. Hope you enjoy it. In the blue puppet I explained to Igor that the upper mouth would speak the truth, and the other one only lies, but then the play was without “spoken” dialogues. So, in the end, the upper mouth speaks quite slowly and the other one very fast. In the yellow one, I wanted that the puppet farted, so, Igor stuff it with a ambience spray. What happens is that during the play, when this one gives a fart, a really nice odour invades all the room. Video permanent link in here and here.

Le Sketch: Matt Madden

mattsketch

Novo número do Le Sketch, desta vez com esboços de Matt Madden, que acabou de editar pela Chamberlain Brothers 99 Ways To Tell a Story.

Quem quiser receber um grátis, basta dar um salto à Mundo Fantasma no Porto, ou então, à Bedeteca, em Lisboa.

New issue of Le Sketch, this time with sketches from Matt Madden who just published 99 Ways To Tell a Story by Chamberlain Brothers. If you want to get a free copy, just send your name and address to lesketch [@] gmail [.] com – don’t forget to remove the brackets. Important notice: this offer is valid until I run out of copies.

SI: Sputnik

Ensaio meu na Satélite Internacional [SI] sobre argumento, longo e com o belo título de A Industrialização de Uma Narrativa Popular. Este número, Especial Sputnik, conta também com as participações de Mário Moura, Domingos Isabelinho, Pedro Vieira de Moura, Nuno Franco, entre outros.

Fica aqui o contacto da SI: satelite_internacional [@] hotmail.com

Wrote an article to Satélite Internacional [SI] about scriptwriting, intituled The Industrialization of a Popular Narrative. In this issue there are also articles by Mário Moura, Domingos Isabelinho, Pedro Vieira de Moura, Nuno Franco, among other. SI can be reached using this e-mail: satelite_internacional [@] hotmail.com